Meu negócio precisa ter um aplicativo móvel?

Meu negócio precisa ter um aplicativo móvel?

Antes de responder a essa pergunta, vamos analisar algumas tendências. Segundo relatório divulgado pela consultoria App Annie, que analisa o segmento comercial de aplicativos, este mercado irá crescer 24% este ano, alcançando a cifra de US$ 54 bilhões em receitas. Até 2020, este número quase dobrará, atingindo incríveis US$ 101 bilhões em todo mundo.

No Brasil, as expectativas são ainda mais otimistas, mesmo diante do cenário de desaceleração econômica. Somente em 2016, a previsão é de que o crescimento das receitas seja de 40%, muito acima da média mundial. O número de downloads também dará um salto, passando de 147,3 bilhões, em 2016, para 284,3 bilhões, em 2020.

Mas a cereja do bolo ainda está por vir. E se você soubesse que os brasileiros estão no topo da lista de usuários de aplicativos? Segundo a pesquisa App Olympics da Cheetah Ad Plataform, enquanto cada usuário no mundo utiliza, em média, 27 aplicativos por mês e possui engajamento com 39, os brasileiros têm, em média, 29,23 aplicativos e engajamento com 53,62.

Diante desses números, não dá para ignorar a importância do mercado de aplicativos e a infinidade de oportunidades de negócio que ele oferece.

E por quê será que os aplicativos estão ganhando esse espaço todo? A resposta pode estar na preferência dos brasileiros em usarem a internet no celular e não mais nos computadores pessoais. Segundo pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 80% dos lares brasileiros têm celular, enquanto 77% têm computador. Foi a primeira vez na história que esse cenário se inverteu.

Um site responsivo não é suficiente?

Mesmo responsivos para plataformas mobile, os sites têm navegação mais lenta que os apps e não permitem acesso às informações quando o usuário está offline. Do ponto de vista das empresas, os aplicativos têm outras vantagens em relação aos sites que poderão ser o grande pulo do gato para os negócios. Biometria, geolocalização, câmeras, sensores, realidade aumentada e games 3D, são apenas algumas ferramentas que os aplicativos já oferecem e que não estão disponíveis em websites tradicionais.

E tem mais. Internet das coisas e até computação cognitiva podem ser incorporados ao seu aplicativo, tornando-o inteligente e garantindo que ele entenda os dados fornecidos pelo usuário, aprenda e raciocine a partir deles. O que isso significa? Que você pode saber exatamente o que o cliente quer, quais melhorias procura, como quer se relacionar com o seu produto e o que espera da sua organização.

Com essa riqueza de dados, inovar se torna muito mais fácil e certeiro, assim como o relacionamento com o cliente. Ainda não está convencido?

Responda rapidamente a essas perguntas:

1 – Quando foi a última vez que seu site o notificou sobre um cliente potencial próximo ao estabelecimento?

2 – Ou informou sobre as reações dos consumidores ao seu produto?

3 – Seus clientes conseguem tirar fotos de seus produtos por meio do site?

4 – Eles têm acesso a campanhas promocionais e de divulgação exclusivas que considerem seu perfil e suas preferências de compra?

5 – Conseguem testar seus produtos virtualmente por meio do seu site?
Se a resposta que prevaleceu foi não, você já deve estar imaginando as oportunidades que está perdendo.

Mas será que qualquer empresa pode ter um aplicativo? Para saber mais sobre esse mercado, continue acompanhando o nosso blog e assine nossa newsletter. Nos próximos posts vamos responder a essa e várias outras perguntas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *