Deploy automatizado: o que é e quais são as vantagens?

Deploy automatizado: o que é e quais são as vantagens?

Escalar equipes para trabalhar aos finais de semana, mais precisamente durante a madrugada, ainda é a alternativa utilizada por sua empresa para minimizar os impactos de implantação de softwares em produção?

E se houver um problema e for necessário restaurar uma versão anterior? Seu negócio está preparado para fazer isso com a agilidade necessária para evitar prejuízos financeiros e de imagem?

Empresas que insistem em manter processos manuais de implantação de softwares ao longo dos diversos estágios de pré-produção até a produção, também chamados de deployment, estão constantemente sujeitas aos erros inerentes a atividades que dependem de interferência humana.

“Não são raros os casos de passagens aéreas sendo vendidas por centavos e computadores praticamente de graça. Sem contar a interrupção de serviços, o que acaba prejudicando o cliente e comprometendo a credibilidade do fornecedor. Situações como essas podem ter como origem uma implantação de software em produção mal sucedida”, exemplifica o CEO do CAMSS Group, Hugo Azevedo.

Automatizar o deployment de softwares se tornou crucial não apenas para proteger o negócio, mas também para desafogar as equipes de desenvolvimento e operações, cada vez mais pressionadas por prazos enxutos.

“Fazer um deploy manual pode exigir horas de um profissional que se dedicará a atividades que envolvem, por exemplo, cópia e instalação de arquivos em servidores e atualização de arquivos de configuração. Sem contar que qualquer problema identificado ao final do processo pode significar a retomada do zero”, pontua Gustavo Reis, COO da OneForce.

Além da susceptibilidade a erros e lentidão, procedimentos manuais pecam ao não oferecerem visibilidade e rastreabilidade das operações, o que certamente trará impactos já que, mesmo depois de finalizado o deployment, as equipes precisam saber o que foi implantado, onde, por que e por quem (principalmente no caso de haver algum problema). Sem a rastreabilidade e a visibilidade, os profissionais terão que buscar o erro em logs distribuídos em várias máquinas, exigindo ainda mais tempo e recursos.

E é justamente isso é o que as empresas têm cada vez menos: tempo e recursos – tanto financeiros como humanos. “Aplicações mobile, social, big data e tecnologias em nuvem exigem cada vez mais agilidade na entrega e implantação e redução constante do ‘time to market’. Por isso, eliminar processos lentos e de produtividade baixa é essencial para garantir a competitividade do negócio”, explica Gustavo.

Como funciona o deploy automatizado?

Para entender, primeiro, o que é um processo de deployment, veja a figura abaixo:

A etapa “O que” representa os itens que irão para deployment como arquivos binários, atualizações de middleware, mudanças e configurações de banco de dados, conteúdo estático e tudo aquilo que estiver associado ao software que será entregue ao destino-alvo (o “Onde”).

O “Como” refere-se à combinação dos itens que vão para deploy em grupos de componentes. Esses componentes são implantados por processos que consistem em passos configurados pelo usuário, cada passo podendo ser integrado a um ou mais plug-ins responsáveis por sua execução. Finalmente, o “Onde” representa os ambientes e hosts que são os destinos-alvo.

Mas onde entra a automação? Para levar os componentes até o destino-final, todas as etapas do processo dependeriam da atuação de um profissional dedicado à implantação. “Com o UrbanCode, a equipe utiliza processos de drag-and-drop para criar sequências de ações que serão executadas nas aplicações e seus componentes. Dessa forma, os artefatos criados são implantados automaticamente no ambiente-alvo que pode ser SIT, UAT, Produção ou outro”, detalha Gustavo.

Vamos tomar como base a solução para automação de deploy da IBM, o UrbanCode. A ferramenta oferece visibilidade das inúmeras camadas de deployment, permitindo modelar processos que orquestrem implementações complexas em todos os ambientes e gate de aprovação.

As ferramentas de design drag-and-drop facilitam a visualização do processo de deployment de ponta a ponta, além de permitir uma visão clara do fluxo de implantação em todas as etapas citadas.

Quer saber mais sobre deployment automatizado? Entre em contato conosco. Um de nossos consultores está à disposição para tirar suas dúvidas.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *